Para avançar, não faça nada!

iStockphoto / andreusK
iStockphoto / andreusK

Enquanto você está lendo isso, no que mais você está pensando?

Se você está focado nessas palavras excluindo todo o resto, então bravo! Você alcançou o que muitos de nós lutamos para fazer: manter nossas mentes focadas na tarefa em mãos. No entanto, se você regularmente acha que seu foco muda durante as tarefas ou conversas, então certamente você não está sozinho.

Recentemente, tive um momento de autoconsciência enquanto conversava com um parente. Percebi que, embora estivesse parado, na verdade estava tentando fazer muitas coisas ao mesmo tempo: estava dividindo minha atenção entre registrar todas as coisas importantes que ela estava mencionando e a construção de uma lista mental de coisas que eu precisaria fazer mais tarde naquele dia. Durante todo o tempo, eu estava fazendo os sons certos e acenando com a cabeça nos momentos apropriados para que ela não soubesse que eu estava apenas ouvindo-a pela metade.



Durante toda a conversa, eu estava ciente da minha própria tagarelice mental (me dizendo que se eu não pudesse continuar com aquela lista, eu teria outra tarde da noite e estaria cansado amanhã) e me sentindo cada vez mais estressado. Então, percebi que ela estava tentando obter minha opinião sobre onde realizar uma festa de aniversário em família. Ela interpretou meu aceno evasivo com a cabeça como um sinal de que eu não tinha certeza das opções, e ela estava examinando os prós e os contras de todos eles em grande detalhe. Em um momento de clareza, percebi que, ao não lhe dar toda a atenção, estava desperdiçando seu tempo e energia, e também os meus. Eu, envergonhado, voltei ao presente e realmente me envolvi na conversa.

Nos dias que se seguiram, pensei muito naquela conversa e percebi que minha falta de atenção não estava me afetando apenas em casa, mas também no trabalho. Eu estava sendo distraído com facilidade e frequência, e raramente minha atenção estava totalmente voltada para a tarefa em questão. Isso afetou minha agenda, pois estava demorando mais para concluir as tarefas.

Quando pesquisei como prestar atenção, vi que existem muitos recursos e técnicas disponíveis que podem ajudá-lo a aumentar sua atenção. Decidi tentar uma técnica que imaginei que daria menos esforço: a sesta de 10 minutos. (David DiSalvo, escrevendo para Forbes , explica por que 10 minutos é o período ideal para esta técnica.)

A ideia é fazer uma sesta de 10 minutos, uma ou talvez duas vezes durante o dia para melhorar o desempenho cognitivo. Parece fácil, mas, além do apelo óbvio de tirar uma soneca em vez de trabalhar, eu não estava convencido de que funcionaria. E, na verdade, no dia em que decidi tentar, quase cancelei para poder continuar meu trabalho.

Bem, você pode imaginar minha surpresa quando, pouco depois da minha sesta, me senti bem. Eu estava alerta, suavemente energizado e pronto para trabalhar! Eu conseguia me concentrar por períodos mais longos e, ao falar com as pessoas, conseguia deixar de lado a tagarelice mental que antes havia se tornado ensurdecedora. Isso significava que eu era capaz de estar “presente” totalmente e absorver mais do que era dito. Tenho usado a técnica regularmente desde então e funciona sempre. Eu realmente recomendo para qualquer um que está se esforçando, mas não necessariamente progredindo.

Em situações em que uma sesta não é possível, existem muitas outras técnicas por aí, e cabe a você escolher a que melhor se adapta a você. Em particular, Escuta atenta irá aumentar sua capacidade de se concentrar e ajudá-lo a evitar os erros e mal-entendidos que ocorrem quando não podemos ouvir corretamente.

E quanto a você? Você já se viu em uma situação complicada por não ouvir atentamente?